Setembro 2015


      Uma ponte que antes era de madeira situada na China acaba de ser substituída por vidro. Estaagora é, a mais longa passarela com fundo de vidro do mundo, está localizado em Shiniuzhai Geopark em Hunan, e se estende por 300 metros (984f) e é 180m (590f) acima do solo. O piso é feito de vidro de camada dupla, que é 24 milímetros (0.94in), e é declaradamente 25 vezes mais forte que o vidro das janelas normais.

            A ponte tinha sido previamente feita de madeira, ela liga os dois picos de pedra de Buda Mountain, os 11 engenheiros que trabalham 12 horas por dia substituíram a madeira por vidro. Se antes os que atravessavam a antiga ponte de madeira já eram considerados corajosos, agora que seu fundo é de vidro os que fazem esse feito são quase heróis. 









Os lugares mais bonitos do planeta registrados a partir de ângulos incríveis. Veja 27 fotos inspiradoras clicadas pelo AirPano.com.

Conheça o projeto AirPano.com e apaixone-se ainda mais por estes destinos, vendo as melhores fotos tiradas lá das alturas. 

Em poucas palavras, o objetivo do AirPano.com é fotografar lugares que já são fascinantes por si só, de um ângulo que os deixem ainda mais bonitos: das alturas. A equipe, formada não apenas por fotógrafos profissionais, como também por engenheiros, pilotos e programadores, sobrevoa destinos que são verdadeiros cartões postais até encontrar o ponto exato para tirar a melhor foto. Além das câmeras, outras ferramentas são essenciais para este trabalho: aviões, helicópteros, balões e até mesmo drones fazem parte do aparato. Para que você tenha uma noção da grandiosidade e da beleza que é esta iniciativa, separamos 27 fotos, dentre as milhares já clicadas. Viaje com a gente você também!

Riomaggiore - Cinque Terre - Itália
Impossível não se apaixonar pela Cinque Terre, uma das regiões mais bonitas da Itália. 

Jardim Superior de Peterhof - São Petersburgo - Rússia 
Os jardins de Pedro, como são conhecidos, estão entre os mais belos do mundo.

Ilha de Vayyag Island - Ilhas Raja Ampat - Indonésia
Uma das fotos mais famosas de todo o projeto foi clicada no belíssimo litoral da Indonésia. 

Hagia Sofia e Bósforo - Istambul - Turquia
O principal cartão postal de Istambul ficou ainda mais bonito, neste registro. 

Canyon "Ferradura" no Rio Colorado - Arizona - EUA
Nesta foto, é possível entender a origem do nome deste cânion, que é um dos mais famosos nos Estados Unidos.

Cachoeira Salto Angel - Venezuela
Só assim para ter uma noção de quão alta é a cachoeira mais alta do mundo.

São Francisco - EUA
Os arranhas-céus de São Francisco, nesta foto, fazem jus ao nome deste tipo de prédio. 

Ilhas Maldivas
Ao ver esta foto, você com certeza vai se lembrar que as Ilhas Maldivas estão sendo engolidas pelo oceano. 

Museu da Arquitetura de Madeira - Suzdal - Rússia
Mais um destino incrível da Rússia.

Igreja da Sagrada Família - Barcelona - Espanha
Uma das mais belas e mais altas igrejas do mundo.

Campos de Flores - Holanda
Vistos do alto, os campos de flores da Holanda formam um imenso tapete colorido. 

Lisboa - Portugal
O centro da capital portuguesa, com a Ponte 25 de Abril, ao fundo. 

Cidade Proibida - Pequim - China 
Um dos palácios imperiais mais antigos da China. 

Campos de arroz - Província de Yunnan - China
Outra beleza da China.

Český Krumlov - República Tcheca
Uma das cidades mais charmosas do país tcheco. 

Qiandaohu Lake - Hangzhou - China
Mias uma das maravilhas naturais encontradas no território chinês. 

A Torre Eiffel e o Palácio de Chaillot - Paris - França
Um novo ângulo e um novo olhar para a cidade mais visitada do mundo. 

Mosteiro da Santíssima Trindade - Metéora - Grécia
Um dos tesouros perdidos na Grécia. 

Parque Nacional Doze Apóstolos - Vitória - Austrália
Um dos monumentos rochosos mais incríveis de todo o planeta fica na Austrália. 

Taj-Mahal - Agra - Índia
Um dos lugares mais visitados em toda a Índia. 

Cataratas do Iguaçu - Brasil e Argentina
Uma foto que retrata, com maior precisão, a grandiosidade desta que é uma das Sete Maravilhas da Natureza. 

Angkor Wat - Siem Reap - Camboja
O templo que é o principal responsável pela movimentação turística em Siem Reap,

Rio de Janeiro
A Cidade Maravilhosa também já foi clicada pelo projeto. 

E então, qual é a sua foto favorita? Deixe um comentário com a sua opinião!

Usina de Belo Monte: o documento do Ibama enumera 12 exigências que precisam ser comprovadas pela concessionária responsável

Maiana Diniz, daAGÊNCIA BRASIL

Brasília - O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) emitiu parecer em que nega a emissão da licença de operação da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, até que a concessionária Norte Energia, responsável pela usina, comprove o cumprimento de todos os itens previstos no programa de compensações ambientais.

Sem a licença, a empresa fica impedida de encher o reservatório e dar início à geração de energia no empreendimento.

O documento do Ibama enumera 12 exigências que precisam ser comprovadas pela empresa, como a implantação de oito pontes para adequar o sistema viário de Altamira, obras de saneamento nas cidades de Ressaca e Garimpo do Galo, remanejamento de populações de áreas que serão alagadas, além da limpeza de resíduos na área do futuro lago.

A Norte Energia afirmou, por meio de nota, que os itens apontados estão concluídos e que a comprovação será feita ainda nesta semana.

“Como, por exemplo, as obras de acesso viário, a supressão de vegetação e a parte de saneamento, necessitando apenas que seus registros fotográficos sejam enviados ao Ibama”.

Segundo a empresa, a comprovação será feita por meio de mapas de localização das interferências, descrição das obras e fotos.

Devastação

A atividade humana gera impactos nem sempre positivos no planeta. A agricultura, extração de recursos naturais e a caça, por exemplo, podem destruirflorestas e arruinar ecossistemas. Veja agora as 10 florestas mais devastadas do mundo, de acordo com a organização Conservation International.

Indo-birmânia 
Wikimedia commons
Os rios de lagos da Indo-birmânia abrigam diversas espécies de peixes e tartarugas, incluindo alguns dos maiores peixes de água doce do mundo. No entanto, esses importantes ecossistemas aquáticos estão ameaçados pela destruição das florestas nas planícies aluviais, causada pela expansão do cultivo de arroz. Além disso, os rios foram represados para gerar energia elétrica, o que causou um alargamento dos bancos de areia. Por todos esses motivos, estima-se que apenas 5% da área permaneça preservada.

Nova Caledônia
Wikimedia commons
A nova Caledônia, conjunto de ilhas no oceano Pacífico, possui muitas florestas tropicais ameaçadas pela mineração, principal atividade econômica da região: a venda de níquel corresponde a quase 100% da exportação. Também abriga uma simpática ave que corre sério risco de extinção, o Kagu.

Arquipélago Indo-malaio
Wikimedia commons
A flora e a fauna da região do arquipélago Indo-malaio - que inclui as ilhas de Bornéu e Sumatra - estão em grave perigo devido à expansão da indústria florestal e do tráfico internacional de animais. Entre as atividades comerciais mais predatórias da região estão a extração de borracha, óleo de dendê e celulose, além do corte ilegal de madeira.

Florestas filipinas
Wikimedia commons
Historicamente devastadas pela atividade madeireira, as florestas filipinas sofrem também com a expansão agrícola. Algo preocupante em um país onde cerca de 80 milhões de pessoas dependem de recursos naturais das florestas para sobreviver.

Mata Atlântica
Wikimedia commons
Inicialmente devastada pelas plantações de café e cana-de-açúcar, a Mata Atlântica conta hoje com apenas 10% de sua área original. Cerca de duas dúzias de espécies vertebradas nativas dessa região brasileira lutam contra a extinção.

Três Gargantas
Wikimedia commons
A construção da barragem de Três Gargantas, a maior do mundo, a caça, a extração de madeira e o pasto são os principais fatores que estão levando à destruição o habitat do panda gigante, no centro-sul da China.

Província Florística da Califórnia
Wikimedia commons
A Província Florística da Califórnia, nos Estados Unidos, possui diversas espécies de flores e abriga o maior organismo vivo do planeta, a Sequoia Gigante. Há séculos ameaçada pela agricultura comercial, a região já presenciou a extinção do urso cinzento e de outros animais.

Florestas costeiras da África Oriental
Wikimedia commons
As florestas costeiras da África Oriental também são ameaçadas pela expansão agrícola. Neste caso, o solo pobre, o crescimento populacional e a agricultura de subsistência são os principais responsáveis pela drenagem dos recursos naturais da região.

Madagascar
Wikimedia commons
Casa dos lêmures e de outras diversas espécies que só se desenvolveram ali, Madagascar sempre foi um exemplo de biodiversidade. No entanto, estima-se que apenas 10% do ecossistema original da ilha ainda exista, devido à caça, à extração de madeira, à mineração e à agricultura.

Afromontane
Wikimedia commons
Assim como na maioria das áreas tropicais, as florestas Afromontane, que vão desde a Arábia Saudita até o Zimbábue, estão seriamente ameaçadas pela atividade agrícola, em especial pelas plantações de banana, chá e feijão.

Estudou analisou cerca de 1.200 espécies de criaturas marinhas nos últimos 45 anos

DA BBC BRASIL

A população de mamíferos, pássaros, peixes e répteis marinhos caiu quase pela metade (49%) desde 1970, de acordo com um relatório do World Wildlife Fund e da Zoological Society of London.

O estudo afirma que algumas espécies que as pessoas costumam comer, como atum e cavala, estão diminuindo ainda mais –a queda na população dessas espécies foi de 74%.

Os autores do estudo citam pesca excessiva e a mudança climática como algumas das principais razões.

"A atividade humana prejudicou gravemente o oceano ao pescar espécies mais rapidamente do que elas se reproduzem e também destruindo seu habitats", diz Marco Lambertini, diretor da WWF International.

População de pepinos-do-mar, vistos como itens luxuosos na Ásia, declinou.
População de pepinos-do-mar, bastante apreciados na Ásia, declinou mais de 90%

Os pesquisadores também apontam para uma grande redução na população de pepinos-do-mar, uma comida bastante apreciada na Ásia. Em Galápagos, a queda foi de 98% e, no Mar Vermelho, de 94%, no últimos anos.

O estudo destaca o desaparecimento de habitats como prados marinhos e manguezais, importantes para a alimentação e como "berçário" de muitas espécies.

O relatório afirma que dióxido de carbono está sendo absorvido pelos oceanos, fazendo com que fiquem mais ácidos, prejudicando diversas espécies.

Os autores analisaram mais de 1.200 espécies de criaturas marinhas nos últimos 45 anos.

© Fornecido por AFP O aquecimento global, associado a fenômenos naturais como El Niño, provocará temperaturas muito elevadas em 2015 e 2016

O aquecimento global, associado a fenômenos naturais como El Niño, provocará temperaturas muito elevadas em 2015 e 2016, afirma um relatório publicado nesta segunda-feira pelo serviço meteorológico britânico (Met Office).

"É muito provável que 2014, 2015 e 2016 estejam entre os anos mais quentes já registrados" no planeta, disse Rowan Sutton, professor do Centro Nacional de Ciências Atmosféricas.

Sutton acredita ainda que o aquecimento global voltará a se acelerar, após uma década de relativa estabilidade.

Esta "pausa" no aumento das temperaturas serviu de argumento para os chamados "clima-céticos", que criticam os modelos científicos para explicar a mudança climática e até negam a responsabilidade humana no aquecimento global.

Segundo o Grupo Intergovernamental de Especialistas sobre a Mudança Climática (IPCC), a "pausa" no aquecimento se deve a uma questão estatística, já que 1998 foi um ano especialmente quente devido ao El Niño, fenômeno ligado ao aquecimento do Pacífico, que teve como consequência anos seguintes mais amenos.

O estudo publicado pelo Met Office analisa detalhadamente o El Niño, que voltou a ser detectado em março e pode ser "um dos mais intensos" da história.

Segundo pesquisadores britânicos, o fenômeno contribui com o aquecimento global e também repercute em nível local, com condições mais secas para alguns países asiáticos e a Austrália.

Os pesquisadores preveem que neste outono e inverno no hemisfério norte as chuvas serão mais abundantes na Califórnia, que enfrenta uma severa seca há quatro anos.

O Met Office também prevê que o esfriamento que se observa atualmente no oceano Atlântico pode provocar verões menos quentes e mais secos no norte da Europa, efeito que será contrabalançado pela tendência geral de aquecimento global.

Em agosto, a Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos informou que os sete primeiros meses de 2015 foram mais quentes já registrados, após 2014 ter sido o período mais quente em 135 anos.


AFP

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Imagens de tema por Nikada. Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget