As 14 melhores fotografias tiradas debaixo d’água em 2015

Do fundo do mar

 Fotografar animais em movimento não é uma tarefa fácil. Agora, imagine capturar várias espécies embaixo d'água. Com o objetivo de parabenizar as pessoas que conseguem realizar tal ato, a Competição de Fotografias Artísticas Subaquáticas revelou os vencedores das melhores imagens tiradas embaixo d'água em 2015.

Em sua quinta edição, a competição atraiu fotógrafos de mais de 50 países, que se especializam em imagens subaquáticas. Os vencedores das 15 categorias do concurso receberam mais de 70 mil dólares em prêmios.

Quem recebeu o prêmio "Melhor do Show", a maior honraria da competição organizada pelo Guia de Fotografia Subaquática, foi o fotógrafo Jeff Milisen. Ele capturou uma enguia vagando pelo mar de Kailua-Kona, no Havaí. Para ver mais imagens incríveis como essa, veja a galeria a seguir com as 14 fotos vencedoras (a categoria Piscina/Conceitual não foi adicionada, pois não foi tirada em um oceano):

Categoria "lente grande angular"
Francesco Visintin
Fotógrafo: Francesco Visintin

Lugar em que a foto foi tirada: Forte de Marmi, Toscana, Itália
Nome da fotografia: "The Satellite" (O Satélite)

Esta Rhizostoma pulmo, também conhecida como "Medusa de Barril", foi fotografada por Franceso Visintin. Segundo ele, foi possível fotografar o animal devido à uma série de fatores. "A temperatura do mar subiu em conjunção com o período de reprodução de celenterados e a diminuição na quantidade de predadores naturais, aumentou dramaticamente a população da Rhizostoma pulmo", explica na legenda da foto.

Visintin também conta que a boa visibilidade dentro do mar o motivou a explorar o local de um ponto fotográfico, "explorando a luz clara do início da manhã e do pôr do sol".

Categoria "águas geladas"
Lill Haugen
Fotógrafo: Lill Haugen

Lugar em que a foto foi tirada: Fiorde de Oslo, Noruega
Nome da fotografia: "Anemone light" (Luz anêmona)

Esta "Anêmona do Mar do Norte", chamada cientificamente de Bolocera tuediae, é geralmente encontrada nas águas verdes e frias dos fiordes de Oslo, na Noruega, em profundidades iguais ou abaixo de 25 metros. 

De acordo com Haugen, algumas espécies de camarões vermelhos podem ser encontradas sob essas anêmonas. Como esta espécie é retroiluminada, a fotógrafa precisou colocar o estroboscópio (um dispositivo óptico que permite o registro do movimento contínuo de um corpo) atrás da anêmona e usar um sensor remoto para disparar o flash.

Categoria "retrato"
Greg LeCouer
Fotógrafo: Greg LeCoeur

Lugar em que a foto foi tirada: Nice, França
Nome da fotografia: "Pilot Whales" (Baleias-piloto)

Durante uma visita na costa do Mar Mediterrâneo, o fotógrafo Greg LeCoeur avistou um grupo de baleias-piloto (mamíferos que chegam a medir até 8,5 metros de comprimento) e decidiu registrar o momento.

"Elas estavam girando em torno de mim na água azul cristalina. Foi uma experiência incrível e uma grande oportunidade de fotografá-las", disse o fotógrafo na legenda da imagem.

Categoria "comportamento da vida marinha"
Steven Kovacs
Fotógrafo: Steven Kovacs

Lugar em que a foto foi tirada: Blue Heron Bridge, Flórida, EUA
Nome da fotografia: "Egg Release" (Libertação do óvulo)

Nesta foto tirada na Flórida, Kovacs capturou o momento em que um peixe fêmea está liberando seus óvulos. De acordo com o fotógrafo, quando estão preparadas para ovular, elas sobem para a superfície e são seguidas pelos machos. Enquanto ela está liberando seus óvulos, os peixes machos os fertilizam. 

"Eu percebi que elas estavam prestes a desovar, então eu fui preparado para fotografar este comportamento raramente observado", conta Kovacs na legenda.

Categoria "lente macro"
Jeff Milisen
Fotógrafo: Jeff Milisen

Lugar em que a foto foi tirada: Kailua-Kona, Havaí, Estados Unidos
Nome da fotografia: "Feeling Exposed" (Sentindo-se exposto) 

Foi com a fotografia desta enguia nas águas do Havaí que Jeff Milisen ganhou o prêmio de melhor fotografia de todo o concurso. De acordo com os curadores da competição Ocean Art Underwater, é a primeira vez que esse tipo de enguia é vista por uma pessoa. 

Milisen conta que estava mergulhando com um amigos quando viu o animal. Segundo ele, o estômago externo do peixe possibilita que ele consuma todos os nutrientes dos alimentos consumidos, ajudando no seu desenvolvimento rápido. "Nós (os mergulhadores) tínhamos mais de mil mergulhos nas nossas contas e nenhum de nós tínha visto algo como esse animal na Terra ou em qualquer lugar", conta o fotógrafo na legenda da fotografia.

Categoria "novatos com câmera DSLR"
Irene Middleton
Fotógrafo: Irene Middleton

Lugar em que a foto foi tirada: Maroro Bay, Nova Zelândia
Nome da fotografia: "Panic Puffer School" (Cardume de baiacus em pânico)

Geralmente encontrados em águas marinhas, os baiacus são levados para ilhas de reservas marinhas na Nova Zelândia pelos fortes ventos do leste. Lá, eles sobrevivem por poucas horas. Foi nesse ambiente que Middleton conseguiu tirar uma foto dos animais. 

"Assim que os mergulhadores entram na água, os baiacus procuram abrigo. Era isso que eles estavam fazendo quando eu tirei essa foto. Logo depois que eu saí da água, cerca de metade deles havia sido devorada", disse a fotógrafa na legenda.

Categoria "câmera sem espelho com lente macro"
Simon Chiu
Fotógrafo: Simon Chiu

Lugar em que a foto foi tirada: Cebu, Filipinas
Nome da fotografia: "Shyness" (Timidez)

O arlequim é um peixe tímido, que sempre tenta se esconder entre os corais. Para conseguir tirar uma foto do animal, o fotógrafo utilizou duas lentes com distância focal muito curta. "Assim, eu tive que me segurar para não assustar esse bonito companheiro", explica Chiu na legenda da foto.

Categoria "comportamento com câmera sem espelho"
Walter Bassi
Fotógrafo: Walter Bassi

Lugar em que a foto foi tirada: Capo Noli, Mar de Liguria, Itália
Nome da fotografia: "Dad and her Eggs" (Pai e os óvulos dela)

"No meu mergulho, eu vi toda a sequência de acasalamento entre machos e fêmeas, como uma dança no azul. Foi muita emoção", conta Walter Bassi, vencedor da categoria "comportamento sem espelho" do concurso.

Segundo o fotógrafo, a imagem foi capturada enquanto o cavalo marinho tentava recuperar os óvulos. "Felizmente, ele os recuperou completamente. A maior dificuldade para mim foi não incomodar o cavalo para que ele não perdesse os óvulos", disse na legenda da fotografia.

Categoria "lente grande angular sem espelho"
Matthew Sullivan
Fotógrafo: Matthew Sullivan

Lugar em que a foto foi tirada: Montane Creek, Pensilvania, EUA
Nome da fotografia: "Wood Turtle" (Tartaruga de Madeira)

As tartarugas de madeira são animais em extinção, o que as torna ainda mais únicas do ponto de vida fotográfico. De acordo com o fotógrafo, registrar o momento em que elas nadavam foi um privilégio. "Fotografá-las em seu habitat aquático valeu a pena o esforço de carregar todo o meu equipamento fotográfico pelas montanhas", disse na legenda.

Categoria "câmera compacta com lente macro"
Alessandro Raho
Fotógrafo: Alessandro Raho

Lugar em que a foto foi tirada: Noli, Itália
Nome da fotografia: "The Fluorescent Cerianthus" (O Cerianthus Fluorescente)

Para criar os efeitos visuais desta foto, Alessandro Roho utilizou um filtro amarelo que é, geralmente, usado em mergulhos noturnos para destacar a a fluorescência de algumas espécies. "Porém, para esta foto, eu usei-os (os filtros) durante o dia", explica na legenda da imagem.

Categoria "comportamento com câmera compacta"
Jack Berthomier
Fotógrafo: Jack Berthomier

Lugar em que a foto foi tirada: Ouemo Bay, Nouema, Nova Caledônia
Nome da fotografia: "Fast strike of a Tylosorus crocodilus on a juvenile kyphosus vaigiensis" (Ataque rápido de um Tylosorus crocodilus em um jovem kyphosus vaigiensis)

De acordo com o fotógrafo Jack Berthomier, esta imagem foi capturada no manguezal de Ouemo Bay, onde ele tira a maioria de suas fotos. OTylosorus crocodilus da fotografia tem entre 20 e 25 centímetros e atacou diversos peixes menores durante o mergulho de Berthomier.

Segundo ele, os ataques foram tão rápidos que ele precisou mergulhar por três horas em vários dias para conseguir capturar o momento. "Esses peixes só atacam presas que vivem na superfície e eu não tenho certeza se é possível alimentá-los", conta o fotógrafo na legenda.

Categoria "câmera compacta com lentes grandes angulares"
Brian Christiansen
Fotógrafo: Brian Christiansen

Lugar em que a foto foi tirada: Deshaies, Guadalupe
Nome da fotografia: "Cetaseclipse" 

Brian Christiansen conta que para tirar a foto deste golfinho, ele precisou nadar por horas com um grupo de animais dessa mesma espécie. "Os golfinhos que eu passei mais tempo junto foram dois 'adolescentes' que não paravam de brincar um com o outro", conta o fotógrafo na legenda da foto.

Ele explica que espera que a imagem revele a diversão que uma pessoa pode ter com animais selvagens quando ela baixa a guarda. 

Categoria "nudibrânquios"
Roland Bach
Fotógrafo: Roland Bach

Lugar em que a foto foi tirada: Punta den Siulet, Minorca, Espanha
Nome da fotografia: "Sunny Day" (Dia Ensolarado)

Nesta imagem, é possível ver uma Felimare picta, espécie de lesma do mar, vagando pelas águas de Punta den Siulet. Segundo o fotógrafo, a parte mais difícil de tirar essa foto foi trazer a luz do sol junto com a cor opaca do mar, "pois havia pouco espaço para o estroboscópio. Então eu tive que esperar dez minutos", conta. Porém, "quando eu vi o resultado, eu apenas pensei que, no final, foi uma boa ideia deixar meu amigo esperando", disse na legenda.

Categoria "lente supermacro"
Yat wai
Fotógrafo: So Yat Wai

Lugar em que a foto foi tirada: Tulamben, Bali, Indonésia 
Nome da fotografia: "Skeleton Shrimp" (Camarão Esquelético)

Segundo o fotógrafo que capturou a imagem deste camarão, é difícil focar em rostos, tentáculos e garras quando você quer tirar fotos em grande profundidade. "Eu tive que tirar 60 fotografias para conseguir pegar o camarão esquelético parado no centro do quadro", lembra Wai na legenda.


Mundo MS Inc.

Navegue pela Data e encontre as Matérias em Ordem Cronológica.