01/22/17


Nome Científico: Cassia leptophylla (Leguminosae – Caesalpinioideae).

Características: Altura entre 8 e 10 m e tronco de 30-40 cm de diâmetro. Folhas compostas paripinadas, com 8-12 pares de folíolos de 3-5 cm de comprimento. Flores de coloração amarela e frutos do tipo legume contendo sementes ovaladas de cor bege.

Locais de Ocorrência: Ocorre em florestas de pinhais do sul do Estado de São Paulo até Santa Catarina.

Madeira: Moderadamente pesada, compacta, dura e durável.

Aspectos Ecológicos: Espécie perene, heliófita, característica de formações secundárias das florestas situadas em regiões de altitudes. Dificilmente se desenvolve no interior da mata. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis e a dispersão das mesmas é irregular e descontínua.




Nome Científico: Samanea saman (Leguminosae – Caesalpinioideae).

Características: Árvore com altura entre 15 e 25 m e tronco de 40-80 cm de diâmetro. Folhas compostas imparipinadas, com 15-29 folíolos opostos e glabros, de 4-7 cm de comprimento.

Locais de Ocorrência: Ocorre na floresta pluvial da encosta atlântica desde o sul da Bahia até São Paulo.

Madeira: Muito pesada, compacta, dura ao corte, superfície lisa e com pouco brilho, textura fina; de grande durabilidade mesmo quando em ambientes adversos.

Aspectos Ecológicos: Planta semidecídua característica da mata pluvial atlântica. É frequentemente encontrada em encostas e topos de morros onde a drenagem é rápida. Apesar de ser característica da floresta primária, pode ser encontrada em formações secundárias mais desenvolvidas. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.





Nome Científico: Schinus terebinthifolia (Anacardiaceae)
Características: Altura entre 5 e 10 m, com tronco de 30-60 cm de diâmetro revestido com casca grossa. Folhas, geralmente, com 7 folíolos de 3-7 cm de comprimento por 2-3 cm de largura.

Locais de Ocorrência: Ocorre em diferentes formações vegetais de Pernambuco até o Mato Grosso do Sul e o Rio Grande do Sul.

Madeira: Moderadamente pesada e mole; utilizada para construção mourões, esteios e na produção de lenha e carvão.

Aspectos Ecológicos: Planta pioneira, comum em beira de rios, córregos e várzeas, entretanto cresce também em terrenos secos e pobres. Os frutos são drupas globosas de coloração vermelho-brilhante muito apreciados pela avifauna e utilizados na culinária como condimento.





Nome Científico: Schinus molle (Anacardiaceae).

Características: Espécie arbórea com altura entre 4 e 8 metros e tronco com 25 a 35 cm de diâmetro, revestido por casca grossa e escamosa. Suas folhas são compostas, sem estípulas, com 9-25 folíolos linear-lanceolados a lineares, subcoreáceos, glabros, com 3-8 cm de comprimenro e de margens serreadas. As flores amareladas e pouco vistosas são reunidas em inflorescências e os frutos são drupas globosas e de coloração vermelha.

Locais de Ocorrência: Relatos indicam a ocorrência desde Minas Gerais até o Rio Grande do Sul.

Madeira: Dura, pouco elástica, com alburno escuro e de excelente durabilidade. É utilizada para confecção de mourões, esteios, trabalhos de torno, obras hidráulicas e na construção civil. Além disso, a casca pode ser empregada para curtir couro e o córtex para produção de resina.

Aspectos Ecológicos: Espécie pioneira e perenifólia capaz de suportar sombreamento mediano. É considerada uma das espécies precursoras mais agressivas em solos pedregosos e drenados. Além disso, é altamente tolerante à secas, resiste à geadas e apresenta boa capacidade de regeneração natural. Floresce entre os meses de agosto e novembro e a maturação dos frutos ocorre entre dezembro e janeiro, permanecendo, contudo, na árvore, até março. Por ser uma árvore ornamental e de pequeno porte, é amplamente empregada no paisagismo em geral.




Nome Científico: Rollinia sylvatica (Annonaceae).

Características: Espécie arbórea de porte médio com altura de 6-8 m e com tronco de 30-40 cm de diâmetro. A copa de forma globosa contem folhas simples, ovaladas e elípticas, com 11 cm de comprimento. Suas flores são isoladas e de coloração amarela, de até 3 cm de comprimento e, os frutos, globosos, carnosos e com saliencias.

Locais de Ocorrência: Ocorre naturalmente de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul, em várias formações florestais.

Madeira: É própria para confecção de canoas e pequenas embarcações, obras internas, forros, carpintaria, escultura e confecção de objetos de uso doméstico. Além disso, é apripriada para a produção de lenha e carvão.

Aspectos Ecológicos: Planta de matas secundárias iniciais, desenvolvendose em clareiras pequenas ou mais raramente no sub-bosque. Floresce entre os meses de setembro e dezembro e a frutificação ocorre de janeiro a abril. É uma espécie importante na regeneração de áreas degradadas e atrai grande quantidade de animais.

MKRdezign

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Imagens de tema por Nikada. Tecnologia do Blogger.
Javascript DisablePlease Enable Javascript To See All Widget